Cobrança de aluguel: estratégias permitidas x proibidas [com dica bônus]

Ao ler este conteúdo, você ficará por dentro de diversas abordagens e estratégias, permitidas por lei, de cobrança de aluguel. Isso não só lhe ajudará a reduzir inadimplência, mas também a ter uma relação mais amistosa com seus clientes.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Índice

Lidar com a inadimplência imobiliária pode ser um tanto quanto desafiador. Por essa razão é essencial se manter atualizado quanto às estratégias permitidas e proibidas quando o assunto é a cobrança de aluguel.

A cobrança de aluguel é a simples solicitação de pagamento. Como o ato de fazer uma cobrança pode gerar um certo desconforto nos envolvidos, é importante que o solicitante realize uma abordagem educada e segura ao cliente, a fim de aumentar as chances de êxito da ação e evitar maiores problemas relacionados à inadimplência.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e fique por dentro de tudo que é e não é permitido ser feito no momento de realizar a cobrança de aluguel!

1. O que diz a lei?

A lei sob o nº 8.245/91 (lei do inquilinato ou lei das locações) regula o mercado imobiliário quanto aos locadores, inquilinos e aluguéis. Existem direitos e deveres para todas as partes envolvidas nesta relação.

O cumprimento dos prazos e pagamentos dos aluguéis, além de eventuais encargos, são deveres do inquilino. Apesar destes fatos estarem claros no contrato de locação, muitas vezes acabam descumpridos pelos responsáveis.

E para que se tenha a segurança necessária nada melhor que entender um pouco mais sobre as estratégias permitidas e proibidas para cobrança de aluguel frente ao cenário de inadimplência.

1.1. O que é permetido?

  • Enviar cobranças extrajudiciais; 
  • Utilizar garantias (caução, seguro-fiança ou fiador) disponíveis; 
  • Distribuir uma ação judicial de cobrança e despejo.

1.2. O que é proíbido?

  • Desrespeitar os prazos estipulados em contrato e na lei; 
  • Expor o inquilino inadimplente publicamente; 
  • Invadir ou tomar o imóvel locado.

Após compreendermos as estratégias permitidas e proibidas vamos às dicas práticas que possuem o objetivo de facilitar ainda mais a cobrança de aluguel.

2. 5 Dicas práticas:

2.1. Consulte o histórico:

Tenha sempre em mãos o histórico completo do cliente. Os dados para contato, o contrato de locação firmado e o histórico de pagamentos são essenciais para nortear a cobrança de aluguel, proporcionando segurança e assertividade.

Planeje as estratégias de negociação e cobrança de acordo com as  informações retiradas do histórico.

2.2. Entre em contato:

Inicie os contatos de maneira sutil e vá aprimorando as técnicas com o passar dos dias.  O primeiro contato deve ser feito a partir do envio de um e-mail com texto formal e impessoal, de modo a  gerar o efeito desejado.

Não tenha medo de seguir em frente e realizar a cobrança de aluguel. 

2.3. Entenda o que está acontecendo:

Frente ao insucesso com o envio do e-mail busque um contato mais íntimo através de mensagens ou ligações telefônicas. Escolha bem o horário e as palavras. Compreenda determinadas situações e negocie os valores em aberto, mas efetue a cobrança de aluguel de maneira clara e precisa reforçando as obrigações das partes. 

Um contato intimista aumenta as chances de solução.

2.4. Envie uma notificação extrajudicial:

Com o apoio de um advogado especialista envie uma notificação extrajudicial via e-mail, carta registrada e/ou cartório de títulos e documentos. A redação poderá abordar os valores em aberto e a necessidade de desocupar o imóvel em um prazo de 15 dias.

Deixe claro que uma negociação amigável será muito mais vantajosa.

2.5. Distribua uma ação:

Caso as tentativas acima se frustrem, novamente com o apoio de um advogado especialista, inicie frente ao poder judiciário uma ação de cobrança e despejo.

O despejo é considerado uma medida radical e deverá ocorrer em último caso.

2.6. [Dica bônus] Previna a inadimplência:

Previna as demandas citadas acima e para tanto crie e fortaleça – sempre que possível – laços com o cliente. Estabeleça uma relação de importância e respeito.

Disponibilize de maneira prática e acessível variadas formas de pagamento e envie ao cliente lembretes quanto as datas de vencimento que foram escolhidas.

Realize campanhas e eventos educativos que visam reforçar a importância da organização financeira e as vantagens de se realizar pagamentos dentro do prazo.

Frente a inadimplência faça de tudo para reverter de imediato. Disponibilize a segunda via do boleto bancário e viabilize a negociação através de acordos extrajudiciais.

No Brasil a inadimplência já atingiu cerca de 63,9 milhões de brasileiros segundo dados da Serasa Experian e por essa razão é extremamente importante se atentar as estratégias e dicas práticas. 

Para mais dicas de alinhamento financeiro em sua imobiliária, acesse o banner abaixo para saber tudo sobre os principais pilares da gestão financeira para imobiliárias.

Powered by Rock Convert

Receba conteúdos em seu e-mail