resguardar-dos-erros-da-gestao-anterior

Tudo sobre feira em condomínios

A realização de feira em condomínios é algo que tem se popularizado muito nos últimos anos. Saiba tudo sobre o assunto, suas regras, o que pode ou não ser feito e como montar uma feira de condomínio.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Índice

A realização de feira em condomínios é algo que tem se popularizado muito nos últimos anos, pelo fato de ser um evento interessante para aproximar os moradores que participam, mas também movimentar dinheiro nos prédios e empreendimentos residenciais.

Dentro de um condomínio, as chamadas “feiras livres” são diferentes das que vemos normalmente, com barracas, carrinhos, muito barulho e alta circulação de pessoas. Na verdade, elas costumam ser exclusivas para moradores que podem até trazer convidados de fora, mas mantendo o controle do ambiente.

A grande preocupação que síndicos e gerentes prediais devem ter é garantir que as feiras sejam bem organizadas e não tragam gastos extras ao condomínio, principalmente relacionados à limpeza e possíveis depredações das áreas comuns.

Com isso em vista, continue a leitura deste artigo e saiba tudo sobre o assunto, o que pode ou não ser feito, como montar uma feira de condomínio e quais regras devem ser seguidas!

As feiras em condomínios são permitidas?

Essa resposta pode ser um pouco complexa, mas nós iremos explicar da melhor maneira possível, então muita atenção!

O Código Civil em Condomínios diz que aqueles que são residenciais não podem sediar atividades para fins comerciais, afinal é para isso que existem os condomínios e complexos comerciais.

“Isso significa que feiras não podem ser realizadas?” Nada disso! E é por isso que a resposta não é tão simples assim.

As feiras em condomínio podem acontecer desde que haja um conjunto de regras a ser seguido e sejam estabelecidos dias e horários específicos para que ela funcione. Veja melhor abaixo o que precisa ser definido previamente:

A legislação para feira em condomínios

Os moradores têm voz ativa dentro dos condomínios, então o primeiro ponto para que uma feira possa acontecer é a realização de uma assembleia ordinária a fim de analisar a ideia e discutir pontos pertinentes sobre ela.

A partir disso, é fundamental que os seguintes passos sejam seguidos:

  • o síndico deve combinar com os moradores um período de teste para todos verem na prática se vale ou não a pena manter a ideia;
  • o gerente do condomínio deve entrar em contato com os feirantes para organizar a montagem das barracas;
  • o síndico e o gerente devem avaliar os espaços utilizados na feira;
  • o síndico deve requerer os documentos necessários dos profissionais contratados.

Os alimentos da feira são pagos normalmente pelos frequentadores, porém o condomínio não pode cobrar nenhum valor adicional aos condôminos e nem dos feirantes pelo espaço cedido. Assim o ambiente residencial não é utilizado comercialmente e respeita o Código Civil dos Condomínios.

Como funcionam as feiras em condomínio?

Agora que você já conferiu detalhes sobre a parte teórica e burocrática das feiras em condomínio, veja como elas funcionam na prática.

Geralmente, a feira conta apenas com produtos e alimentos que já foram votados em assembleia e aprovados pelo síndico.

Então, o mais recomendável é que o evento aconteça uma vez por mês (sábados e domingos costumam ser dias interessantes) principalmente na parte da manhã, horário em que os moradores estão em casa e podem frequentar com mais facilidade.

Seguindo as regras de boa convivência, a feira pode começar às 08H e encerrar às 13H, prezando pelo bem-estar de todos.

Frutas, lanches, caldo de cana, pastel, legumes, doces, sucos, churrasco e até produtos para a casa costumam ser vendidos nas feiras em condomínio, trazendo muitas vezes, facilidade e segurança aos moradores nas compras emergenciais.

Mas atente-se, para a feira ser um sucesso, é necessário cuidar de alguns pontos como:

  • os produtos que estão sendo vendidos;
  • higiene antes, durante e após a feira;
  • validade das licenças dos feirantes;
  • organização em horários de maior movimentação (geralmente entre as 09H e às 10H);
  • nível de satisfação dos moradores com a feira;
  • garantir o monitoramento da portaria durante o evento;
  • validade de produtos e alimentos;
  • custo-benefício da feira (para condôminos e gestão).

Como montar feiras em condomínios?

Para que a feira seja realizada da melhor maneira, é importante tomar certos cuidados.

Primeiro, ao ouvir os moradores durante a assembleia, tente manter o meio-termo entre o interesse comum e a saúde administrativa do condomínio.

Segundo, prefira lugares espaçosos e que possam ser limpos com facilidade, preferencialmente com mangueira. O salão de festas do condomínio e a quadra poliesportiva são os mais indicados.

Terceiro, escolha os dias da semana em que os moradores poderão comparecer, sendo de noite ou de dia. Evite a qualquer custo realizar feiras livres durante a semana e próximas do horário comercial.

Quarto, faça contratos com os feirantes e demais prestadores de serviço (sem multas rescisórias) a fim de evitar que eles não cumpram o combinado e a feira acabe repentinamente, mas também que se encarreguem dos lixos gerados por eles.

As feiras livres são de interesse, agradam os condôminos e é uma ideia que vale a pena ser discutida em reuniões e assembleias! Por falar nisso, que tal conhecer os 10 pilares para a gestão de condomínios?

Receba conteúdos em seu e-mail