financiamento de imoveis

Financiamento de imóveis: como escolher a melhor taxa do mercado?

As pesquisas revelam que inúmeros brasileiros possuem o sonho da casa própria, que acaba por proporcionar segurança e tranquilidade aos seus donos. Mas, para alcançar esse objetivo é necessário dinheiro em espécie e/ou encontrar uma solução alternativa a fim de se concluir o negócio.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Índice

Frente aos altos custos do processo, no ano de 1964 surgiu no país o primeiro financiamento imobiliário. Este, a princípio possuía como foco o financiamento de imóveis residenciais para a população de baixa renda.

O financiamento de imóveis foi se tornando cada vez mais robusto e completo, fato que fomentou a concorrência entre as instituições financeiras públicas e privadas. Hoje, essa modalidade é considerada a primeira e única opção para muitos brasileiros quando se trata de adquirir a casa própria.

Dessa forma, o conteúdo abaixo irá explicar todos os detalhes relacionados ao financiamento de imóveis. Vamos lá?

1. O que é um financiamento de imóvel? 

O financiamento para compra de imóveis é realizado por uma instituição financeira e equipara-se a um empréstimo. Frente a determinados pré-requisitos e critérios estipulados pelas legislações pertinentes e pela instituição financeira, ocorrerá a concessão de um valor necessário para a realização da compra do imóvel escolhido pela parte compradora.

Em contrapartida, a parte compradora deverá compensar e/ou devolver o valor concedido pela instituição financeira através de pagamentos mensais acrescidos de algumas taxas, juros, amortizações e/ou seguros conforme estipulado em contrato. Os pagamentos mensais poderão ser antecipados, o que acelera o término do financiamento imobiliário e acaba por reduzir os juros presentes no contrato. 

Durante o financiamento de imóveis, a instituição financeira será considerada dona do imóvel e a parte compradora só passa a ser efetivamente dona do imóvel quando da quitação total do financiamento imobiliário.

2. Quando fazer um financiamento de imóvel?

Comprar um imóvel com recurso de terceiro é considerada uma decisão de impacto e, por essa razão, é necessário avaliar quando dar o primeiro passo. Para tanto é necessário captar o imóvel dos sonhos, que poderá ser novo ou usado. É essencial ainda compreender qual o seu valor de mercado e qual o seu valor de venda.

Com o valor em mãos, torna-se fundamental realizar uma simulação junto às mais variadas instituições financeiras públicas e privadas para descobrir qual será o valor máximo que será aprovado e, consequentemente, liberado ao comprador. É importante ainda compreender todos e quaisquer custos que estarão diretamente relacionados ao negócio, sendo esses, mas não se limitando às parcelas, documentações, amortizações, juros, taxas, impostos, seguros, entre outros. 

As partes deverão ainda conferir e aprovar a documentação completa do imóvel, pois um imóvel irregular não pode ser financiado em hipótese alguma.

Banners CTA 2 21 - Financiamento de imóveis: como escolher a melhor taxa do mercado?

3. O que avaliar para fazer um financiamento de imóvel?

O financiamento de imóveis pode chegar a uma máxima de 360 (trezentos e sessenta) meses e, por essa razão, é considerado um negócio de longo prazo. Dito isso, é importante avaliar as necessidades do comprador. 

Muitos brasileiros possuem o sonho da casa própria, pois julgam que o pagamento do aluguel é um dinheiro mal investido, mas o estilo de vida e as necessidades do comprador serão determinantes para se chegar a uma conclusão. Realizar os cálculos dos gastos com aluguel e dos gastos com financiamento imobiliário é o melhor caminho, com a finalidade de se perceber quais as vantagens e as desvantagens de ambos.

Resta mencionar que não existe uma regra e/ou um padrão para a presente discussão. A exemplo, existem compradores que mudam de cidade quase que anualmente, enquanto outros criam raízes em uma única cidade para o resto da vida. Existem compradores que possuem altos salários fixos, enquanto outros são autônomos e não possuem recorrência quanto aos ganhos salariais.

4. Como fazer um financiamento de imóvel?

Depois de escolhido o imóvel e a instituição financeira que melhor lhe atenderá, o comprador deverá apresentar seus documentos – carteira de identidade, CNH, CPF, comprovante de estado civil, comprovante de endereço, comprovante de renda, entre outros – para a realização de uma análise cadastral e financeira completa.

Os documentos relativos às comprovações das rendas são decisivos, pois poderão comprovar a capacidade de honra do comprador quanto ao pagamento das parcelas do financiamento de imóveis. Destaca-se que o valor mensal de pagamento das parcelas não poderá superar 30% (trinta por cento) da renda familiar bruta.

Daí em diante a instituição financeira avalia o imóvel a ser financiado para confirmar o seu valor. Correndo tudo bem e aprovadas as etapas mencionadas acima será elaborado o contrato e a documentação pertinente para se formalizar o financiamento imobiliário.

5. Quais são os tipos de financiamento?

Atualmente existem alguns tipos de financiamento de imóveis no Brasil, sendo estes:

5.1. Financiamento direto com a construtora

O financiamento de imóveis firmado direto com a construtora ocorre, em regra, com os imóveis que estão na planta e serão construídos no prazo médio de 03 (três) a 05 (cinco) anos. Apresenta vantagem financeira, pois trata-se de um imóvel que ainda será construído e que muitas vezes está abstrato na percepção do comprador.

Em regra, não há incidência de juros e a própria entrada pode ser parcelada, de acordo com a negociação realizada com a construtora.

5.2. Financiamento dos sistema financeiro imobiliário

O Sistema de Financiamento Imobiliário – SFI foi criado pela lei sob o nº 9.514/97 e regula a participação das instituições financeiras nas operações de financiamento de imóveis. 

A taxa de juros é mais alta, mas não há limite de valor para o imóvel a ser comprado e não há limite de comprometimento de 30% (trinta por cento) da renda do comprador.

5.3. Financiamento do Sistema financeiro de habitação

O Sistema Financeiro de Habitação – SFH é o principal programa de financiamento de imóveis do Brasil. O comprador pode financiar um imóvel de até R$ 1.500.000,00 (um milhão, quinhentos mil reais), de acordo com o estado onde se localiza.

A taxa de juros é de até 12% (doze por cento) ao ano e há um limite de comprometimento de 30% (trinta por cento) da renda do comprador que tem até 35 (trinta e cinco) anos para efetuar o pagamento.

6. O que é Sistema de amortização?

A amortização de um financiamento de imóveis é a redução do valor original a ser pago em um financiamento. Trata-se de fator determinante para a redução da dívida e das parcelas que precisarão ser pagas pelo comprador. No Brasil, são utilizados dois sistemas de amortização, sendo estes:

6.1. Tabela Price

A tabela Price não sofre variação no valor das parcelas do financiamento de imóveis. Ademais, no começo do contrato firmado, a maior parte do valor pago destina-se aos juros e um montante menor à amortização. Ao longo do contrato esta relação se inverte.

6.2. Tabela SAC

Já no Sistema de Amortização Constante – SAC, a amortização é fixa em todas as parcelas do financiamento de imóveis. Independentemente do valor pago, o montante amortizado da dívida principal é sempre o mesmo. O total das parcelas diminui somente com o tempo.

7. Quais são os Índices aplicados em um financiamento de imóvel?

Se faz de extrema importância conhecer os índices que norteiam o financiamento de imóveis, pois os mesmos acabam por influenciar os valores da dívida. Sendo assim:

  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA – considerado o índice mais seguro de inflação, mas ainda é uma novidade no mercado imobiliário. Por ora é aplicado nos contratos realizados pela Caixa Econômica Federal e pelo Banco do Brasil;
  • Taxa Referência – TR – o índice mais utilizado pelas instituições financeiras. A poupança e o FGTS acabam aplicando o presente índice;
  • Índice Geral de Preços do Mercado – IGP-M – é composto por um apanhado de índices e utilizado nos reajustes dos aluguéis e nos financiamentos imobiliários prontos junto a construtora; e
  • Índice Nacional da Construção Civil – INCC – É aplicado quando da compra de um imóvel na planta ou direto com a construtora. Objetiva recompor as variações dos custos da construção civil e pode ser aplicado até a conclusão da obra e entrega das chaves ao comprador.

8. Quais são as taxas aplicadas ao financiamento?

É necessária uma detalhada pesquisa quanto às taxas aplicadas ao financiamento de imóveis pelas instituições financeiras públicas e privadas, tendo em vista a alta concorrência e a atual baixa na taxa de juros no Brasil.

De qualquer forma, as principais instituições financeiras oferecem taxas de juros que variam de acordo com o produto ofertado, mas que acabam por manter uma média anual de 7,16% (sete vírgula dezesseis). 

Existe ainda a obrigatoriedade quanto a uma entrada de 15% (quinze por cento) a 30% (trinta por cento) do valor total do imóvel e uma variação quanto a porcentagem do valor total do imóvel que será financiado, com oscilação de 70% (setenta por cento) a 90% (noventa por cento) do valor do imóvel que será financiado. 

De qualquer forma, não há que se falar que o comprador financiará 100% (cem por cento) do imóvel, exceto quando da aplicação do programa Minha Casa Minha Vida, que acaba por realizar o cadastro de famílias brasileiras de baixa renda.

O financiamento é uma das formas de compra de imóvel. Sendo assim, este é um assunto que o consultor imobiliário deve entender a fundo, já que ele é o profissional capaz de entender as condições do cliente e sugerir a melhor opção.

Além disso, existem várias outras responsabilidades na profissão de consultor imobiliário. Pensando nisso, entenda tudo sobre esse profissional acessando o banner abaixo.

Banners CTA 1 11 - Financiamento de imóveis: como escolher a melhor taxa do mercado?

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Receba conteúdos em seu e-mail