administradora de condomínios atendendo cliente em tempos de crise

Administradora de condomínios em tempos de crise: como ser útil aos clientes?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Índice

As ações de uma administradora de condomínios em tempos de crise pautarão a vida em conjunto, quando se fala de um local que reúne vários condôminos. É necessário bastante atenção e cuidado para evitar que a inadimplência alcance proporções preocupantes.

Neste artigo vamos mostrar quais são algumas dessas possíveis ações. Você entenderá os efeitos causados pela atual pandemia na economia e na vida financeira das pessoas. Lendo até o fim, conhecerá maneiras de driblar esse difícil momento. Confira!

Qual foi o impacto econômico causado pela pandemia?

A crise econômica ocasionada pela Covid-19 não tem precedentes neste e no século passado. Realmente, não há quem tenha passado incólume pela atual crise. O cenário brasileiro, que já vinha de uma forte recessão, acabou por se aproximar do próximo estágio degenerativo de uma economia: a depressão econômica.

Com todos os ramos econômicos sofrendo fortes abalos, o bolso dos condôminos também foi afetado. Como tudo está interligado, uma cadeia de inadimplência tem forte probabilidade de surgir, caso nenhuma estratégia diferenciada seja posta em prática. Momentos assim requerem medidas rápidas de contingência.

Quais ações podem ser tomadas pela administradora de condomínios em tempos de crise?

A habilidade de contornar situações difíceis por parte da administradora conta bastante em uma cenário como o atual. São necessárias medidas cautelares para aliviar a pressão financeira que o condomínio sofre graças ao baque econômico sofrido pelos condôminos.

Nesse sentido, cabe à administradora tentar evitar grandes prejuízos ao adotar medidas que conversem diretamente com todos os envolvidos. Se, de um lado, o condomínio não pode deixar o barco afundar, do outro, os condôminos enfrentam sérias dificuldades financeiras. Veremos a seguir algumas estratégias que podem ser postas em prática.

Ofereça avisos e cronogramas de cobranças

Para aplacar a inadimplência, vale se antecipar ao problema. Em época de crise, não é conveniente deixar o processo de cobrança para a última hora, quando talvez o condômino sequer tenha o dinheiro para honrar o compromisso. Então, torna-se oportuno avisar com antecedência sobre o vencimento. Isso pode ser feito com cartazes em áreas comuns ou por meio digital, como através de aplicativos para condomínio por exemplo.

Fortaleça as políticas de renegociação de dívidas

Se a dívida já está em atraso, então não tem jeito. A prática da negociação deve entrar em cena e condições de pagamento precisam ser oferecidas aos condôminos. Também é possível um parcelamento ou desconto para quitação integral. O mais importante é a administradora não levar adiante um enorme montante de débitos.

Seja honesto com os moradores

Nesse momento a transparência é fundamental. A administradora pode deixar claras todas as ações tomadas no momento de crise, como redução de custos e outras medidas cabíveis. É interessante solicitar a colaboração dos frequentadores do condomínio também, pois o esforço deve partir de todos.

As ações de uma administradora de condomínios em tempos de crise devem ser voltadas para a contenção da inadimplência. Do contrário, pode se tornar insustentável a manutenção até mesmo dos serviços básicos. Clareza na comunicação e renegociação de dívidas são medidas mais do que recomendadas para atravessar a atual época de turbulências.

Gostou do conteúdo? Leia já também o Manual completo para aperfeiçoar a rotina do administrador de condomínio. Tenho certeza que será útil ao seu trabalho!

cta padro 11Powered by Rock Convert

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Receba conteúdos em seu e-mail