sindico-empreendedor

Seja você também um síndico empreendedor

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Índice

Para você, qual é a característica fundamental de um síndico?

Nos últimos anos, presenciamos uma transformação na imagem dessa figura: a gestão de condomínios, cada vez mais, é encarada como atividade para profissionais, exigindo dedicação integral, conhecimentos técnicos e capacidade para lidar com as demandas exigentes dos clientes ou condôminos.

Não basta, assim, que haja apenas comprometimento e esforços para exercer o cargo. Conhecimento em finanças, noções sólidas de legislação, habilidade para lidar com pessoas e planejamento estão entre as características mais importantes de um bom síndico.

Neste artigo, vamos destacar um perfil crescentemente valorizado pelo mercado: o síndico empreendedor. Acompanhe a leitura para saber mais sobre esse perfil e suas grandes vantagens para a gestão condominial!

As características de um síndico empreendedor

Quando pensamos no assunto, a verdade é que todo síndico é um pouco empreendedor. Sem essa habilidade indispensável, não há como ter iniciativa para atender às demandas próprias à administração do condomínio.

Antecipar problemas, tomar decisões, propor soluções e mudanças: todas essas atitudes são essenciais para promover melhorias contínuas na gestão.

Confira algumas características recorrentes desse perfil de síndico:

  • Em geral, são profissionais que têm ou tiveram negócios próprios, ou seja, que literalmente empreendem/empreenderam;
  • O perfil é bastante focado em finanças, com habilidade para manter o orçamento, planejar gastos e minimizar os custos;
  • O síndico empreendedor encara o condomínio como uma empresa, visando manter a sustentabilidade contábil, promover melhorias constantes e atingir objetivos;
  • Esse perfil tem como característica a abertura à inovação e à criatividade, sempre propondo novas soluções para resolução de problemas e conflitos;
  • Busca investir em ferramentas e tecnologias especializadas para otimizar a gestão;
  • Capacidade de liderança;
  • Flexibilidade;
  • Facilidade para construir parcerias;
  • Em geral, o profissional conta com uma boa rede de contatos e habilidade para networking.

Como esse perfil de síndico beneficia a gestão de condomínios?

Analisar o momento atual da gestão condominial é entender que o síndico empreendedor é o perfil que atende às novas expectativas. Hoje, dentre as principais demandas do mercado, podemos citar:

  • Profissionais mais qualificados e realmente preparados para assumir o cargo de síndicos (com a valorização crescente de cursos de gestão condominial e síndicos profissionais);
  • Necessidade de identificar novas oportunidades de negócio para o condomínio;
  • Conceitos inovadores e diferenciados de gestão;
  • Mais empreendedorismo e adoção de soluções inovadoras;
  • Obtenção de certificados de qualidade e sustentabilidade nos condomínios.

As novas demandas marcam também a valorização de um novo perfil de gestor ou síndico, que está longe de ser aquela figura ultrapassada que vê esse trabalho como atividade secundária, “vigia” os moradores e tem uma reputação negativa entre os condôminos.

De fato, o síndico empreendedor está sempre focado em motivar funcionários e moradores, promovendo a abertura para a discussão de novas ideias e opiniões.

Nesse cenário, esse modelo de gestor só tem a contribuir com o(s) condomínio(s) que gerencia. Ele atua como uma verdadeira bússola para guiar profissionais internos, prestadores de serviço e toda a comunidade do condomínio, mantendo um ambiente saudável e colaborativo.

Como há foco nas questões financeiras e na sustentabilidade econômica, o síndico empreendedor também tem perfil negociador e consegue otimizar a gestão de recursos em conversas com fornecedores e outros serviços.

Ele também está sempre buscando iniciativas, negócios e parcerias que possam beneficiar o condomínio, inclusive no que diz respeito à renda.

Vale acrescentar que, para além da habilidade em gestão de pessoas e conhecimento da legislação condominial, a visão do condomínio como empresa, por si só, é extremamente vantajosa.

O condomínio, afinal de contas, envolve tarefas e rotinas semelhantes às de qualquer negócio: contratação de colaboradores, cumprimento de normas de segurança, controle e gestão contábil… O síndico, nesse sentido, deve estar apto a transitar por esses setores com liderança e know-how – em outras palavras, deve ser um verdadeiro síndico empreendedor.

Leia mais:

Os sete pilares para a gestão de condomínios, por Márcio Rachkorsky

7 dicas para melhorar a qualidade de vida em condomínio fechado

4 dicas de produtividade para gestão de condomínios

Receba conteúdos em seu e-mail