Lei-de-Locação

Lei de locação: Entenda suas principais características

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Índice

Os contratos de locação trazem diversas dúvidas não só para inquilinos e proprietários, mas para todos os gestores de propriedade. Pensando nisso, elaboramos o conteúdo abaixo, a fim de facilitar o entendimento sobre os principais assuntos da Lei de locação.

1. Sobre as Locações: Principais características da Lei de Locação

Quando o assunto é contrato de locação, temos uma lei específica para tratar tal assunto, que é Lei 8.245 de 18 de outubro de 1991.

Ocorre que, além da lei referida acima, ainda encontramos regulamentação do próprio Código Civil e pelas leis especiais.

Dessa forma, temos locações de diversos tipos, como:

a) De imóveis de propriedade: União, Estados e Municípios, de fundações públicas e autarquias;

b) Vagas autônomas de garagem ou espaços para estacionamento de veículos;

c) Espaços referente à publicidade;

d) Apart- hotéis, hotéis  residência ou equiparados, assim considerados aqueles que prestam serviços regulares e que sejam autorizados a funcionar e por fim;

e) O Arrendamento mercantil.

1.1 Quando a locação pode ser desfeita:

a) Em decorrência de infração legal ou contratual, bem como falta de pagamento do aluguel e quaisquer encargos;

b) Por acordo entre as partes e ainda;

c) Em casos de realização de reparações urgentes determinadas pelo Poder Público, que não possam ser executadas com a permanência do locatário no imóvel ou, podendo, ele se negar a consenti-las.

2. Dos Deveres do Locador e Locatário: O que diz a Lei de locação

A lei de locação deixa de forma clara as responsabilidades de ambos dos agentes (Locador e Locatário).

2.1 Das Obrigações do Locador

O locador, segundo o Art. 22 da Lei de locação é obrigado a:

a) Pagar as despesas extraordinárias de condomínio;

b) Pagar as taxas de administração imobiliária, se houver, e de intermediações, nestas compreendidas as despesas necessárias à aferição da idoneidade do pretendente ou de seu fiador;

c) Responder pelos vícios ou defeitos anteriores à locação;

d) Fornecer ao locatário recibo discriminado das importâncias por este, pagas, vedada a quitação genérica;

e) Exibir ao locatário, quando solicitado, os comprovantes relativos às parcelas que estejam sendo exigidas;

f) Fornecer ao locatário, mediante solicitação, descrição  do estado do imóvel, quando de sua entrega, com  referência defeitos existentes;

g) Entregar ao locatário o imóvel alugado em estado de servir ao uso a que se destina;

i) Manter, durante a locação,  destino e forma do imóvel;

j) Garantir, durante o tempo da locação,  uso pacífico do imóvel alugado.

2.2 Obrigações do Locatário

O locatário, segundo o Art. 23 da Lei de locação é obrigado a:

a) Pagar pontualmente o aluguel e os encargos da locação, legal ou contratualmente exigíveis, no prazo estipulado ou, em sua falta, até o sexto dia útil do mês seguinte ao vencido, no imóvel locado, quando outro local não tiver sido indicado no contrato;

b) Servir  se do imóvel para o uso convencionado ou presumido, compatível com a natureza deste e com o fim a que se destina, devendo tratá  lo com o mesmo cuidado como se fosse seu;

c) Restituir o imóvel, finda a locação, no estado em que o recebeu, salvo as deteriorações decorrentes do seu uso normal;

d) Pagar o prêmio do seguro de fiança e despesas ordinárias de condomínio;

e) Cumprir integralmente a convenção de condomínio e os regulamentos internos;

f) Permitir a vistoria do imóvel pelo locador ou por seu mandatário, mediante combinação prévia de dia e hora, e ainda admitir que seja o mesmo visitado e examinado por terceiros;

g) Pagar as despesas de telefone e de consumo de força, luz e gás, água e esgoto;

h) Levar  ao conhecimento do locador o surgimento de qualquer dano ou defeito cuja reparação a este incumba, bem como as eventuais turbações de terceiros;

i) Realizar a reparação dos danos verificados no imóvel, ou nas suas instalações, provocadas por quem quer que seja;

j) Entregar imediatamente ao locador os documentos de cobrança de tributos e encargos condominiais, bem como qualquer intimação, multa ou exigência de autoridade pública, ainda que dirigida a ele, locatário;

k) Não modificar a forma interna ou externa do imóvel sem o consentimento prévio e por escrito do locador.

DICAS:

a) Havendo mais de um locador ou mais de um locatário, a legislação entende que são solidários se o contrário não se estipulou;

b) O contrato de locação pode ser ajustado por qualquer prazo (dependendo de vênia conjugal, caso igual ou superior a 10 anos);

c) É lícito às partes fixar,  novo valor para o aluguel, pode ainda,  modificar ou inserir cláusula de reajuste;

d) Não havendo acordo, o locatário ou locador, após 3 anos de vigência do contrato ou do acordo  realizado, poderão pedir revisão judicial do aluguel, a fim de ajustálo ao preço praticado no mercado.

 ______________________________________

Gostou do Artigo?. Então não deixe de conhecer ainda mais, lendo nosso conteúdo sobre Gestão financeira para imobiliárias

Receba conteúdos em seu e-mail