Rescisão de contrato

Como fazer rescisão de contrato de aluguel na pandemia?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Índice

Tendo em vista os problemas decorrentes da pandemia de Covid-19 que estamos enfrentando, tem se visto em algumas regiões um aumento significativo de rescisões do contrato de aluguel.

Este, que é um processo antigo e muito comum no mercado imobiliário, vem causando dúvidas e preocupações meio aos players deste segmento. Isso porque o cenário de pandemia está nos obrigando a adaptar a forma como nos relacionamos com outras pessoas, tanto do ponto de vista pessoal quanto profissional. 

Por esse motivo, algumas imobiliárias estão à procura de esclarecimentos de como realizar as rescisões de forma menos burocrática e mais eficaz, levando em conta as particularidades do cenário atual.

Pensando nisso, vamos abordar o que é um processo de rescisão e como a pandemia pode ter o influenciado.

O que é rescisão de locação?

Antes de falar sobre a rescisão na pandemia, precisamos explicar o que é uma rescisão de locação e como ela é feita.

A locação de um imóvel é uma relação comercial entre proprietário e inquilino. O primeiro tem o imóvel e quer obter lucro a partir dele e o segundo tem interesse em usufruir deste imóvel pagando um valor mensal ao proprietário. Essa relação pode existir visando um imóvel ideal para um ponto comercial ou uma moradia. 

Normalmente é estabelecido uma multa para a parte que rescindir o contrato de locação antes do prazo estabelecido no contrato de locação.

A locação sendo rescindida após o prazo estipulado em contrato não há penalidade para a parte que rescindir, afinal não houve antecipação. Apenas é pedido que a parte que deseja por um fim na relação locatícia comunique por escrito com antecedência de pelo menos 30 dias da data pretendida de desocupação.

Após o comunicado de desocupação, dentro desse prazo, é agendado uma vistoria do imóvel na saída. Se o imóvel estiver na mesma condição que estava no período inicial da locação e o inquilino tiver quitado todos os débitos de sua responsabilidade relacionados à propriedade é feita a entrega das chaves e se finaliza a locação. Este é o processo natural de uma rescisão contratual.

Multa por rescisão de contrato de aluguel antecipada

Não podemos começar a falar da rescisão sem esclarecer uma das principais dúvidas de inquilinos, proprietários e corretores de imóveis: como deve ser aplicada a multa por rescisão antecipada?

Afinal, o que a lei diz sobre a multa por rescisão de contrato de aluguel antecipada?

Lei 8245 de 1991, conhecida como Lei do Inquilinato, diz:

Art. 4°  Durante o prazo estipulado para a duração do contrato, não poderá o locador reaver o imóvel alugado. Com exceção ao que estipula o § 2o do art. 54-A, o locatário, todavia, poderá devolvê-lo, pagando a multa pactuada, proporcional ao período de cumprimento do contrato, ou, na sua falta, a que for judicialmente estipulada.  (Redação dada pela Lei nº 12.744, de 2012).

Parágrafo único. O locatário ficará dispensado da multa se a devolução do imóvel decorrer de transferência, pelo seu empregador, privado ou público, para prestar serviços em localidades diversas daquela do início do contrato, e se notificar, por escrito, o locador com prazo de, no mínimo, trinta dias de antecedência.

Vale ressaltar que a multa é aplicada quando há prazo determinado em contrato. Também é informado no início do artigo 4° que o locador, ou seja, o proprietário, não poderá reaver o imóvel alugado durante o prazo de locação estipulado em contrato. Existem algumas exceções que dizem respeito a essa situação, e estas estão previstas na mesma lei, no artigo 9º.

E como calcular a multa na rescisão de contrato de aluguel?

O artigo 4° diz “pagando a multa pactuada, proporcional ao período de cumprimento do contrato”.

Ou seja, a multa já é prevista no Contrato de Locação e deve ser calculada de forma proporcional ao prazo de contrato e meses vincendos, isto é, os meses faltantes para o término do Contrato. Por exemplo, se foi cumprido 50% do prazo do contrato, paga-se 50% da multa estipulada no contrato.

Segue um exemplo de como deve ser o cálculo:

Prazo de Locação: 30 meses/ Multa estipulada no contrato: R$ 3000/ Pedido de rescisão: mês 10.

Ficaria R$ 3000 (multa) dividido por 30 (prazo de Contrato) multiplicado por 10 meses (Prazo Cumprido)

3000 ÷ 30 x 10 = R$ 1000

Neste caso a multa seria R$ 1000.

Então quanto mais meses se cumpre o prazo, menor será a multa.

Rescisão de contrato de aluguel na pandemia, o que muda?

Por incrível que pareça não há alterações na aplicação da multa ou no valor. O que existe é a flexibilização facultativa.

Mesmo havendo o cenário de pandemia, os contratos não mudaram. A legislação continua a mesma e as medidas que válidas antes da pandemia continuam em vigor.

Muitos podem se perguntar, mas e no caso dos inquilinos que tiveram sua arrecadação financeira diretamente afetada durante a pandemia? Os locadores também podem cobrar taxas de rescisão em uma situação como essa?

Sim, podem! Se o inquilino rescindiu antes do prazo e estava estabelecido em contrato uma multa, ela pode ser aplicada.

O que pode ocorrer em alguns casos, é a flexibilização por parte do proprietário, se ele desejar, pode abrir mão da multa  da rescisão de contrato de aluguel antecipada ou aceitar recebê-la de forma parcelada.

Boa notícia

Outro fenômeno que foi percebido na pandemia foi o grande número de inquilinos que estão se mudando para imóveis maiores por vários fatores consequentes da pandemia: 

  • Home office;
  • Isolamento social;
  • Redução de despesas. 

Dica de ouro: Busque e se disponha à esse inquilino alugando um imóvel da sua carteira a ele. Ele ganha o lar que busca e você mais uma locação, além de fidelizar o cliente.

Em outros casos é possível uma conversa com o proprietário e um ajuste, a fim de evitar uma rescisão, afinal imóvel desocupado gera custos e as locações tiveram uma queda nesta época de Coronavírus.

Vemos que os processos de rescisão de uma locação continuam os mesmos. Porém não podemos negar o grande impacto que a pandemia gerou na vida de todos e no mercado imobiliário em geral.

E é em momentos assim que o corretor e as imobiliárias devem exercer a empatia, se colocando no lugar de seus inquilinos e proprietários. É necessário ter essa sensibilidade, de ser imparcial e fazer o que é justo e profissional, porém buscando sempre quando possível a melhor solução para todos os envolvidos.

Ao falar de rescisão de contrato de aluguel, é importante lembrarmos da importância da vistoria do imóvel ao fim do contrato. Processo este que é imprescindível em qualquer relação de inquilino e locatário.

Pensando nisso, separamos no banner abaixo um artigo aprofundando na questão de vistoria de imóveis. Contendo tudo o que você precisa saber, além de dicas de como a tecnologia pode beneficiar este processo.

cta padro 14Powered by Rock Convert

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Receba conteúdos em seu e-mail