Pergunte à Especialista: esclareça suas dúvidas jurídicas!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Índice

Nesta seção mensal da GroupNews, a advogada e especialista jurídica da Group Software, Laiane Dantas, responderá às dúvidas comuns dos nossos leitores sobre legislação em Gestão de Propriedades – Condomínios, Imobiliárias e Shopping Centers.

Quer ter sua dúvida jurídica esclarecida pela nossa especialista? Basta enviar sua pergunta para o e-mail [email protected]! ?

Vamos às perguntas!

esp news

A Convenção de Condomínio pode disciplinar a proibição da criação de animais domésticos?

Dra. Laiane: Existem diversas Convenções de Condomínio que disciplinam a proibição da criação de animais domésticos. Entretanto, a maior parte da Jurisprudência tem entendido que, desde que a habitação desses animais nas unidades residenciais de condomínio cumpra as condições adequadas de higiene, saúde, bem-estar, proteção e alojamento com dimensões apropriadas ao seu porte ou ainda se este animal não causar incômodo aos demais condôminos (não causando prejuízos à sua integridade física ou de sossego) não há que se justificar tal proibição.

 

Afinal, quais são as principais responsabilidades do síndico?

Dra. Laiane: Antes mesmo de aceitar a atribuição de Síndico, é de extrema importância que todos aqueles que desejam exercer tal função conheçam quais serão suas principais atribuições, as quais o legislador fez questão de especificar, no Artigo 1348 do Código Civil Brasileiro.

Segundo a Lei, as principais responsabilidades/funções do Síndico são:

  • Convocar a assembleia dos condôminos;
  • Representar, ativa e passivamente, o condomínio, praticando, em juízo ou fora dele, os atos necessários à defesa dos interesses comuns;
  • Dar imediato conhecimento à assembleia da existência de procedimento judicial ou administrativo, de interesse do condomínio;
  • Cumprir e fazer cumprir a convenção, o regimento interno e as determinações da assembleia;
  • Diligenciar a conservação e a guarda das partes comuns e zelar pela prestação dos serviços que interessem aos possuidores;
  • Elaborar o orçamento da receita e da despesa relativa a cada ano;
  • Cobrar dos condôminos as suas contribuições, bem como impor e cobrar as multas devidas;
  • Prestar contas à assembleia, anualmente e quando exigidas, e realizar o seguro da edificação.

Importante salientar que o Síndico pode transferir a outrem (total ou parcialmente) as funções administrativas ou ainda os poderes de representação, mediante aprovação em Assembleia e desde que não haja premissas contrárias na Convenção de Condomínio.

laiane banner

Receba conteúdos em seu e-mail