venda-de-imoveis

6 fatores comuns que prejudicam a venda de imóveis

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Índice

Já abordamos, aqui no blog, sobre erros comuns na gestão imobiliária que acabam por atravancar os processos e comprometer a lucratividade no final do mês. Hoje, para continuar te ajudando a evitar deslizes que interfiram no sucesso do seu negócio, listamos 6 fatores que sabotam (e muito) a venda de imóveis.

Vale lembrar, aqui, que a equipe de corretores tem um papel fundamental nesse cenário o desempenho desse time, de fato, pode fazer toda a diferença nos resultados, seja para o bem ou para o mal.

Pecar nas estratégias de marketing imobiliário, apresentar imóveis incompatíveis com o perfil do cliente, divulgar anúncios ineficientes… são muitas as formas como a sua imobiliária pode estar errando. A seguir, confira as principais!

Venda de imóveis sabotada: 6 erros das imobiliárias   

1. Má vontade ou falta de disponibilidade para uma visitação completa dos imóveis

É completamente compreensível que o cliente queira ter uma visão detalhada do imóvel que deseja comprar. Nesse sentido, corretores que demonstram má vontade ou mesmo se negam a fazer uma visitação completa não apenas mancham a imagem da imobiliária, como também perdem excelentes oportunidades de fechar vendas.

É preciso ter em mente que a pessoa interessada dedicou seu tempo para fazer aquela visita, e merece toda a atenção e entrega do corretor (afinal, o interesse maior na venda é deste profissional).

Para inspirar seu time de corretores e instaurar uma cultura de visitação dedicada, uma dica de ouro é incentivar esses profissionais a visitarem e conhecerem o local previamente. Dessa forma, poderão identificar pontos fortes e fracos da estrutura e elaborar sugestões interessantes, tais como:

  • Dar ideias de uso/aproveitamento dos ambientes do imóvel;
  • Ressaltar as características do imóvel que mais combinam com o perfil do cliente;
  • Fornecer dicas para a rotina e o bem-estar do cliente considerando a localização do imóvel.

Não é demais também ressaltar: pontualidade nas visitações (e disponibilidade para explicar o endereço ao cliente) é fundamental.

2. Divulgar imagens de má qualidade

Quando o assunto é buscar um imóvel para comprar (ou mesmo alugar), poucas coisas são tão desanimadoras quanto fotos desleixadas, escuras ou de má qualidade no site.

Atualmente, o digital é a principal frente do marketing imobiliário, o que torna o site das imobiliárias uma ferramenta primordial de atração de clientes. Imagine se um interessado acessa o site do seu negócio e se depara com fotografias mal feitas, que revelem pouco sobre o imóvel em questão. As chances de que ele interrompa a navegação e vá buscar outra imobiliária são altíssimas.

Não por acaso, o imagético tem um grande poder para quem empreende a busca pelo imóvel dos sonhos. Embora o uso do smartphone para tirar fotos seja mais fácil e esteja cada vez mais disseminado, o ideal é investir em fotografias mais profissionais, com boa iluminação e resolução.

Saiba Mais: Marketing Imobiliário: seu guia para o sucesso  

3. Site imobiliário desleixado e não responsivo

Por falar em marketing digital no mercado imobiliário, as fotos não são o único fator do site ao qual você precisa se atentar. Hoje, o Google é uma referência fundamental para quem deseja buscar qualquer serviço (incluindo a compra/aluguel de um imóvel) o que torna o site da imobiliária uma ferramenta indispensável.

Não por acaso, manter um site desleixado e não responsivo é um erro capital que pode colocar as vendas de imóveis a perder. Quando falamos da responsividade, estamos nos referindo à boa usabilidade e a um design limpo do portal, além da sua capacidade de se adaptar bem aos dispositivos móveis (hoje, com o grande uso dos smartphones, essa característica é fundamental).

Além de boa navegabilidade, a coerência visual também é chave. É importante que o design do site reflita a identidade visual da imobiliária, em alinhamento com todo o material de divulgação da empresa.

Vale acrescentar que esse cuidado ajuda a fixar a marca do seu negócio na mente do cliente, fortalecendo sua presença e seu nome no mercado.

Para saber mais sobre a criação de um site voltado para resultados, clique aqui!

venda-de-imoveis-2

4. Não mensurar ações de marketing imobiliário

Não custa reforçar: os resultados de vendas estão diretamente ligados à efetividade das ações de marketing. Nesse sentido, além de buscar melhorar a qualidade dos anúncios, do atendimento, das imagens e da presença digital da imobiliária em geral, é imprescindível ficar atento a um detalhe frequentemente negligenciado pelos gestores: a mensuração dos resultados.

Se um desejo sem planejamento é só uma ideia no papel, um planejamento colocado em prática (mas sem análise de resultados) também não significa nada.

É importante ter em mente que toda ação ou iniciativa para gerar vendas de imóveis (independentemente do canal) envolve o investimento de dinheiro, esforços e tempo da equipe. É natural, assim, que todo esse investimento tenha o seu retorno analisado.

Somente a partir da mensuração do impacto gerado será possível identificar o que está errado, corrigir as falhas, traçar melhores campanhas e potencializar cada vez mais as vendas.

5. Negligenciar o esclarecimento de dúvidas do cliente

Por se tratar de uma importante decisão de vida e de uma aquisição de grande porte, a jornada de compra e venda de um imóvel é complexa e demanda sensibilidade por parte do atendimento.

Além disso, há ainda todo o caráter burocrático do processo. Para manter os papéis organizados e evitar erros jurídicos, o ideal é orientar os corretores a providenciar toda a documentação atualizada do imóvel, além de ordenar os documentos dos clientes. Afinal de contas, são esses papéis que sinalizam o fim da negociação.

O imóvel tem algum tipo de pendência que impeça a venda? Esse é outro fator a ser averiguado pelo time de corretores, assim como a disponibilização da certidão de registro de imóveis e do comprovante do IPTU.

Diante dessa trajetória de decisão tão complexa, é natural que os futuros proprietários expressem dúvidas ao longo de toda a jornada de compra. Facilitar a venda significa também manter a disponibilidade e o bom humor para esclarecer dúvidas sobre documentação, detalhes do imóvel, localização e formas de pagamento.

6. Ocultar as falhas dos imóveis

No processo de venda de um produto ou serviço, é natural utilizar um discurso que destaque seus pontos fortes e benefícios e não seria diferente no ramo de imóveis.

Por outro lado, valorizar as qualidades de um produto não é o mesmo que omitir dados importantes. É fundamental, nesse sentido, instaurar uma verdadeira cultura de transparência na imobiliária, principalmente no que diz respeito às vendas, que têm um viés mais definitivo.

Ser transparente, afinal, é sempre a opção mais acertada, seja para evitar prejudicar as vendas ou mesmo impedir processos contra o negócio.

Isso vale para infiltrações, eventuais problemas daquela determinada vizinhança, questões hidráulicas e elétricas etc. Diante disso, se a imobiliária tiver uma postura transparente, a pior hipótese é que o cliente desista da compra.

Caso a conduta seja omitir informações, porém, as consequências podem ser bem mais sérias e definitivas: processo movido contra a falta de idoneidade da imobiliária caso os problemas estruturais do imóvel se agravem e gerem prejuízos financeiros, além de uma séria mancha na reputação do seu negócio no mercado.  

E então, o que achou das informações? Esperamos que nossas dicas sejam úteis!

Para ter a tecnologia como aliada na gestão de vendas imobiliárias, é possível contar com a ajuda de softwares especializados que otimizam os processos de divulgação da carteira de imóveis para compra e venda.

Clique aqui para conhecer o Imobiliária21 Vendas e multiplique suas negociações! 

Receba conteúdos em seu e-mail